• Liderança

    Apostar na liderança feminina pode transformar negócios

    A liderança feminina é um dos pilares para os novos negócios, que propõem maior inclusão e diversidade entre os colaboradores. Isso é importante porque, ao incluir mais mulheres no mercado de trabalho, mais a economia gira, e a sociedade caminha em direção à igualdade.

     

    De acordo com a pesquisa Women in the Boardroom — a Global Perspective, feita pela Deloitte, mulheres ocupam apenas 15% dos cargos em conselhos de todo o mundo. Quando mudamos o foco desse dado para o Brasil, elas correspondem somente a 7,7% dos cargos de liderança.

     

    Diante disso, é fundamental compreender o histórico social, político e econômico que está por trás desse cenário, assim como podemos implementar medidas empresariais que busquem fortalecer as lideranças femininas.

     

    O que é igualdade de gênero e porque ela é importante

     

    A igualdade de gênero está na Agenda 2030, um documento composto por 17 Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável, promovidos pela ONU (Organização das Nações Unidas) e assinado pelos 193 países-membros. Essa meta baseia-se nos pilares de que, independentemente do gênero, todos devem possuir o mesmo direito e acesso tanto à educação quanto aos cargos profissionais.

     

    A conversa sobre igualdade de gênero intensificou-se como pauta política a partir do século XVIII. A sociedade patriarcal possui como base a mulher como figura materna e responsável pelo cuidado do lar, enquanto o homem deve prover o sustento da família, tendo oportunidades de estudo formal e melhores planos de carreira.

     

    Essa estrutura modificou-se junto das transformações sociais. Até já contamos aqui a história do uniforme das aeromoças como parte dessas mudanças, no entanto, ainda há um caminho a ser percorrido para a igualdade entre os gêneros, começando pela liderança feminina.

     

    Um exemplo são os dados sobre mulheres na liderança em empresas. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elas ainda recebem, em média, 22% menos que os homens que realizam a mesma função.

     

    Desafios das mulheres no mercado de trabalho

     

    É fundamental que empresas e negócios construam políticas de inserção feminina que funcionem em equilíbrio com a vida pessoal dessas mulheres no poder. Nem todas são mães ou desejam isso, assim como nem todas são responsáveis pelo lar. Porém, caso sejam, isso não deveria ser um problema.

     

    É importante que as empresas considerem esses cenários como motivadores à liderança feminina, em vez de empecilhos. Também deve-se superar a visão dos estereótipos de gênero e das habilidades de um grupo ou outro em determinada função, por exemplo, de que mulheres são mais habilidosas em ciências humanas, enquanto os homens são melhor em exatas.

     

    Trajetórias profissionais femininas inspiradoras

     

    Que tal um pouco de inspiração? Todos os anos, a revista Forbes elabora uma lista com 20 figuras femininas de sucesso. O material reúne mulheres em cargos de liderança, seja formal ou como forma de influência, em diferentes segmentos: música, literatura, ciência, negócios, moda, design, ativismo e muito mais. Vale a pena conferir!

     

    Como a liderança feminina é um potencial inovador?

     

    De acordo com dados da Forbes, ao estudar as 20 mulheres de sucesso para a lista mencionada acima, a diversidade nas empresas promove maior inovação. Afinal, adicionam-se novas visões às conversas e aos projetos.

     

    Com isso, os negócios ampliam eficiência, produtividade, potencial criativo, harmonia e qualidade. Isso também ocorre com a rentabilidade das empresas, de acordo com o Instituto Peterson de Economia Internacional. Companhias com até 30% de líderes mulheres obtiveram aumento de 15% na receita, segundo dados do estudo realizado em 90 países.

     

     

    Como implementar políticas empresariais para equidade

     

    Abaixo, confira alguns passos para construir uma política empresarial voltada à equidade e à diversidade, destacando a liderança feminina no mundo corporativo.

     

    1. Promover o objetivo das políticas entre as lideranças corporativas de alto nível;

    2. Tratar homens, mulheres e pessoas LGBTQIA+ de forma justa, com base nos direitos humanos;

    3. Punir toda e qualquer discriminação, promovendo a cultura do respeito;

    4. Oferecer serviços de saúde, segurança e bem-estar semelhantes a cada um dos gêneros;

    5. Incentivar a capacitação profissional e o empoderamento das mulheres;

    6. Apoiar o empreendedorismo feminino nos projetos realizados pela empresa;

    7. Promover iniciativas de ativismo social por meio de ações internas;

    8. Garantir e respaldar denúncias de assédio;

    9. Mensurar, documentar e divulgar os avanços da empresa em busca da igualdade de gênero.

     

    Por que a Yuool está falando disso?

     

    Sempre dizemos que somos mais que uma empresa de calçados: nossos produtos são pensados para uma vida mais confortável e simples, de forma sustentável e genderless. Isso porque acreditamos que o futuro tem que ser cada vez mais justo e com menos ruídos.

    É aqui que entra a nossa percepção de futuro e, nele, a liderança feminina cumpre um papel importante. Como empresa, estamos sempre ampliando a nossa visão de sustentabilidade para as frentes sociais e econômicas.

    Se você é como nós, continue acompanhando nosso blog para ampliarmos a nossa conversa e seguirmos como potencial transformador no mundo. Podemos contar com você?