• Inovação em tempos de pandemia: saiba como a Yuool conseguiu manter o seu negócio rentável

    A chegada inesperada da pandemia do novo Coronavírus e, consequentemente, a diminuição do poder aquisitivo da população em geral, foi algo que impactou todos os negócios. Ficou claro desde o início que muitas empresas teriam que se reinventar para ultrapassar este período. Diversas mudanças que eram esperadas a longo prazo, como, por exemplo, a digitalização dos negócios, tornaram-se imediatas e, de uma hora para outra, todos tivemos que mudar nossa forma de pensar e fazer negócio.

    Com a Yuool não foi diferente. No nosso caso, não necessitamos de uma mudança de ambiente pois somos uma marca que já nasceu digital. Nosso canal de venda e comunicação sempre foi digital, então o fechamento das lojas físicas não foi algo que nos impactou. Percebemos que a nossa necessidade nesse momento é prospectar novos clientes. Sendo uma DNVB (digitally native vertical brand), nós sempre vendemos B2C (business to consumer). 

    Com a pandemia e o momento de reinvenção, entendemos que para aumentar o nosso faturamento do período, talvez fosse necessário começar a vender para CNPJs também. Para não perder nossa essência de DNVB e seguir com venda para o consumidor final apenas nos nossos canais, decidimos investir na Yuool Corporate: uma linha de tênis especialmente personalizados para empresas.

     

    A primeira versão foi feita em 2019. Quem propôs a ideia foi Florian Hagenbuch, um dos fundadores da Loft, uma startup que reforma e revende imóveis. Ele nos procurou para desenvolver uma versão personalizada com o logo e as cores da empresa. Aceitamos o desafio e produzimos 400 pares que foram distribuídos para os colaboradores da Loft. Depois disso, outras dez companhias nos procuraram para desenvolver seu modelo personalizado, entre elas a fintech Warren, o banco Inter e a Dell, famosa companhia de tecnologia. Eduardo Glitz, nosso CEO e um dos fundadores, conta: “Algumas empresas querem presentear os funcionários, outras agradar aos clientes”.

    A prática de peças personalizadas já é amplamente disseminada no Vale do Silício. A marca Patagonia se tornou a queridinha das startups, desenvolvendo modelos de coletes de acordo com as preferências de cada empresa. O objetivo do Yuool é tornar esta uma cultura comum também no Brasil. É uma forma de agradar e incentivar colaboradores da companhia neste momento de volta ao escritório, além de fazer com que eles literalmente vistam a camisa – no caso, o tênis!